11/01/2019

Família viaja mais de 3 mil quilômetros em Kombi para o Campori

Automóvel foi encontrado há cinco anos num ferro velho e reformado para longas viagens

Créditos: Divulgação

 


Viajar junto com a casa tem sido a rotina da família Melo, de São Miguel do Gostoso, no litoral do Rio Grande do Norte. “Nós queríamos viver uma experiência com a família. De férias em casa não estaríamos tão próximos quanto aqui, pois dormimos todos no mesmo ‘quarto’. Eu acho que todo mundo deveria viver um pouquinho disso, porque, na verdade, as pessoas sobrevivem. A gente trabalha, trabalha e depois morre”, comenta o professor Sorley Audrey, que viaja com a esposa, Cynthia Lins, e os três filhos de 16, 8 e 6 anos.


 


O banco que transporta os passageiros faz as vezes de sofá e à noite vira cama. Pequenos armários fixados no teto da Kombi são utilizados para guardar as roupas da família. Na lateral, uma bancada exibe, na maior parte do tempo, objetos decorativos, mas esconde a estrutura da cozinha: pia com torneira, mini-fogão, botijão de gás e armário que guarda os utensílios da cozinha.


No canto, um frigobar garante a água gelada graças a um painel solar fotovoltaico instalado na Kombi. O sistema possibilita ligar o liquidificador, carregar os celulares e oferecer água aquecida para o chuveiro instalado do lado de fora, na parte traseira do automóvel. E, como em todo banheiro, na Kombi também tem vaso sanitário. Basta levantar o assento de um dos puffs da sala para encontrar o vaso sanitário químico. 


 


 Além de estar mais próxima, a família tem aprendido importantes lições sobre consumo consciente. “Essa viagem em mostrado que a gente precisa de muito menos para viver. A humanidade tem se tornado muito consumista, mas a gente não precisa de nada disso para ser feliz. A felicidade está no sorriso dos nossos filhos”, assegura Cynthia.


 A Kombi Clipper ano 1986 foi encontrada por Sorley há quase cinco anos encostada num ferro velho. Recentemente, a colocou a venda por R$ 3 mil. Com a falta de compradores interessados, ele e a esposa tiveram a ideia de reformar a Kombi e transformá-la em um motorhome, ou seja, um carro que oferece estrutura para morar.


 


A reforma começou em novembro e terminou na véspera da primeira viagem, com destino a Barretos, São Paulo. O objetivo da família era chegar ao Campori Sul-americano de Desbravadores, evento que reúne mais de 100 mil pessoas até o dia 20 de janeiro. A família Melo permanece até o dia 13.


Eles saíram no dia 24 de dezembro e chegaram ao Parque do Peão no dia 8 de janeiro. Foram 3,8 mil quilômetros rodados. No percurso, fizeram pausas para conhecer cidades de Pernambuco, da Bahia e de Minas Gerais.


Em todo o percurso para Barretos, houve apenas um problema com os freios que foi reparado ainda em Pernambuco. O orçamento previsto para a viagem é de R$ 16 mil, sendo RS 7 mil para combustível e o restante para alimentação e lazer.


Após o Campori, a família pretende continuar viagem até o Chile e retornar para a casa do Rio Grande do Norte somente no início de março.


 

Veja também...