31/07/2020

Protocolo Sanitário Unificado Equinos e Bovinos é entregue às secretarias de Agricultura e Esportes de SP

Documento representa um importante passo para a retomada segura de provas equestres e de montaria, exposições morfológicas, julgamentos e leilões presenciais

Créditos: Divulgação

Representantes das entidades buscam retomada segura das provas equestres e de montaria

Econômico, Jurídico, Saúde Humana e Bem-Estar Animal. É nesses quatro pilares que o ‘Protocolo Sanitário Unificado Equinos e Bovinos’ está baseado. O documento, que representa um importante passo para a retomada segura das provas equestres e de montaria, exposições morfológicas, julgamentos e leilões presenciais, foi entregue nesta segunda-feira (27/07), às secretarias de Agricultura e Abastecimento e Esportes do Estado de São Paulo.

O encontro, realizado por videoconferência, foi aberto pelo presidente da Associação Brasileira de Criadores de Cavalo Quarto de Milha (ABQM), Caco Auricchio. Na ocasião, o protocolo sanitário foi entregue aos secretários Gustavo Junqueira (Agricultura) e Aildo Ferreira (Esportes). Também prestigiou o momento o presidente da Frente Parlamentar do Agronegócio Paulista (SP-AGRO), deputado estadual Itamar Borges.

O protocolo cumpre todas as legislações já existentes e as previstas devido à pandemia do novo coronavírus (Covid-19). "Estamos satisfeitos em poder auxiliar na entrega deste protocolo sanitário que vai mitigar todos os pontos de contaminação da doença. Com muita reponsabilidade e foco sempre na saúde de todos, vamos retomando às nossas atividades", disse o secretário de Esportes do Estado de São Paulo, Aildo Ferreira.

Gustavo Junqueira, grande incentivador dessa união entre as entidades e apoiador da retomada das provas equestres, propôs ainda uma parceria para a testagem, através do Instituto Biológico da SAA. "Uma força tarefa foi montada com pesquisadores capacitados e treinados para a realização dos diagnósticos. A unidade cumpre os requisitos de Segurança Biológica Nível 3. É a tecnologia do agro a serviço da saúde da população", destacou o secretário.

"O complexo do agronegócio do cavalo no Brasil é extremamente expressivo. Representa R$ 16 bilhões no PIB do país. A atividade responde por mais de 3 milhões de empregos. Essa indústria movimenta toda a cadeia produtiva e ajuda a desenvolver os municípios, além de aquecer a economia, gerando empregos diretos e indiretos, por meio de negócios e eventos. Parabéns às entidades envolvidas", frisou Itamar Borges.


Quem subscreve o protocolo?


O ‘Protocolo Sanitário Unificado’ é subscrito por entidades de todo o país. Representando as associações de criadores de equinos e bovinos: Árabe (ABCCA), Appaloosa (ABCCA), Brasileiro de Hipismo (ABCBH), Mangalarga Marchador (ABCCMM), Mangalarga (ABCCRM), Paint Horse (ABCPaint), Corrida (ABCPCC), Puro Sangue Lusitano (ABPSL), Quarto de Milha (ABQM) e Zebu (ABCZ).

Pelas modalidades, assinam as entidades de: Hipismo Rural (ABHIR), Vaquejada (ABVAQ), Apartação (ANCA), Cow Horse (ANCH), Rédeas (ANCR), Laço Individual (ANLI), Três Tambores (ANTT), Western Pleasure (ANWP), Rodeio (CNAR/Os Independentes), Hipismo (FPH) e Corrida (JCSP). Dentre as correlatas: Veterinários de Equídeos (Abraveq), Câmara de Equideocultura/MAPA, Sindicato dos Leiloeiros (SNLR) e Sociedade Rural Brasileira (SRB).

Veja também...